HÉVERTON FERNANDES poesias de amor

SEJAM BEM VINDOS (AS) A ESTE BLOG
ELE FOI CRIADO POR UM DEFICIENTE QUE APRENDEU A CRIAR POESIAS DE UM AMOR, PARA UM AMOR, DE UMA HISTÓRIA, DE UM DESABAFO ETC...
DEIXE SEU COMENTÁRIO E SE DESEJAR, SIGA-O.
QUE DEUS TE ABENÇOE!


26/03/2013


E no final não seja uma lembrança

Se um dia é mais um dia
Você será sempre você!
A nascente da minha alegria
A importância do meu viver.
Um dia a mais é uma soma
Que se coloca à frente.
E você? Você só se conta
Junto com o amor somente.
Queria contar com você aqui
A soma seria só em amor e amor...
Mais como estais longe daqui
Conto com a lembrança de uma flor.
Somo cada dia a minha esperança
Para que no fim, dê certo o resultado.
E no final não seja uma lembrança
Seja só a alegria aqui do meu lado.
vou Contar sempre com você e eu
Não deixarei nenhuma coisa faltar.
Vejo sempre em minha conta o meu
Meu amor por você aumentar.
E no final dessa operação que faço
que A soma e a conta sejam unidas.
Eu e você. Unidos em um abraço
Um só amor, uma só vida!!!

Héverton 

2 comentários:

  1. Meu caro Hévertoun
    Como Sinto as suas expressões
    Tanto que as minhas paixões
    Não passam de ilusões
    Onde onde tantos corações...

    Amigo Héverton só digo...
    A serem nem o parecem
    Quando todos somos irmãos
    Mas pessoas se esquecem
    De a todos dar as mãos

    Meu irmão querido por DEUS
    Fica este curto comentário
    Em tudo que tenho escrito
    Tanto disso tenho dito
    Que em mim é um fadário.

    A vida que é tão bonita
    Mas quantos esquecem assim!
    Dum jeito sem prejudicar
    E menos marginalizar
    Porque tudo tem um fim!!!.

    Poderoa com que gosto
    Prosseguir com tanto amor
    Apontar, mas quem sou eu?
    Que não sendo um judeu
    E o que faço, é sem valor!.

    ResponderExcluir
  2. Na anterior poesia
    Que escrevi sem pensar
    Longe dizer, comentar...
    Apenas um só áparte
    Que já esqueci essa arte
    Nem estou pra chatear!

    A vida são anos passados
    E eu só conto já setenta
    Estive nas guerras de África
    Em Angola eu servi
    Esqueci o que ali vivi
    Ou que alguém se contenta!

    Decorridos como são
    Imensos anos, que o país
    Tem a todos esquecido
    O que fás certo sentido
    Quando a mula encheram da terra
    Á custa dessa tal guerra
    Agora vivem feliz.

    Poderia estar aqui
    Mas me sinto desgostoso
    Escrevendo sem parar
    E mesmo sem descansar
    Pela patria defender
    Não me sinto valoroso!.

    Apenas raiva, desses sacanas...
    Governantes, e bandidos
    Que o país alimenta
    Roubando a todos nós
    Mesmo com a nossa voz
    Que parece estarmos sós.

    Mas um dia pagarão...
    Disso tenho a certeza
    Poderá tardar um pouco
    Mas já tanto a ficar louco
    Quem sabe se bem mais cedo
    Eles terão tal degredo!!!


    Cá por mim, mesmo c'o a idade
    Pegaria numa arma
    E sem vacilar apontava
    A qualquer deles certeiro
    Corruptos, ladrões, e bandidos
    Deveriam ser banidos...

    Da terra que estão pisando
    Não sabem que estão mandando
    Gente que tanto trabalhou
    Pra não dizer que lutou...
    Que havendo exceções
    Tal como certas razões
    Mas essas só de cabrões!!!

    ResponderExcluir